Ácido Hialurónico

O ácido hialurónico está presente em todas as articulações, pois é um constituinte essencial do líquido sinovial, que tem a função de lubrificar e amortecer as articulações durante o movimento. Além disso, está também presente na pele e nos olhos. O ácido hialurónico é abundante no nosso corpo quando nascemos, mas os níveis vão reduzindo gradualmente com o passar do tempo, o que pode levar ao processo de envelhecimento e desgaste das articulações.

Aspartato de Arginina

O aspartato de arginina possui propriedades nutritivas e ajuda a restabelecer a vitalidade, sendo útil em períodos de maior atividade física ou psíquica, bem como em períodos de convalescença. É excelente para utilizar em situações de cansaço físico e para melhorar o desempenho mental. No organismo converte-se em óxido nítrico, pelo que tem um papel benéfico também na melhoria da circulação sanguínea, pelo que pode ser aconselhado para situações de claudicação intermitente, angina, impotência e disfunção sexual.

Coenzima Q10

A coenzima Q10, também conhecida como ubiquinona, encontra-se em todas as células do nosso organismo, mas principalmente nas células de órgãos onde há maior produção de energia, tais como as do coração, fígado e dos músculos. A coenzima Q10 é produzida no nosso organismo, mas os seus níveis tendem a diminuir com a idade. Dado o seu papel no metabolismo energético, níveis reduzidos desta substância estão associados a fadiga e falta de força muscular. Devido ao seu papel antioxidante, é importante no controlo do stresse oxidativo, na prevenção do envelhecimento precoce e do desenvolvimento de diferentes patologias degenerativas. Além disso, apresenta uma ação importante na proteção cardiovascular e na manutenção de um bom funcionamento do coração.

Colagénio hidrolisado

O colagénio é a proteína que existe em maior quantidade no corpo humano, faz parte do tecido conjuntivo e compõe os tecidos de sustentação, como pele, ossos, tendões e cartilagens, tendo uma função essencialmente estrutural. Com o envelhecimento, a produção interna de colagénio diminui também e, todos os órgãos e sistemas onde este tem um papel importante podem ser afetados. As diminuições das concentrações de colagénio podem conduzir por exemplo, entre outras, a alterações estruturais profundas a nível muscular, na pele, cartilagens e articulações.

O colagénio hidrolisado é absorvido de forma rápida e eficaz, garantido uma ótima biodisponibilidade comparativamente com outros tipos de colagénio. A sua toma ajuda a reduzir a dor articular e a inflamação associadas à destruição do colagénio nas articulações.

Condroitina

A condroitina encontra-se naturalmente no nosso organismo e é responsável por estimular a formação e a regeneração da cartilagem, sendo um dos seus principais constituintes. Apresenta uma ação sinérgica com a glucosamina, pois inibe a destruição da cartilagem e tem uma forte ação anti-inflamatória. A sua utilização é especialmente útil no alívio da dor e no controlo da inflamação, em situações de artrose e noutras doenças osteoarticulares.

Diosmina

A diosmina é um composto da família dos flavonoides que tem ação venotónica, melhora a permeabilidade dos vasos, pelo que contribui para o uma boa função vascular. A diosmina é eficaz para melhorar distúrbios venosos, incluindo varizes, insuficiência venosa crónica, cãibras noturnas nas pernas e síndrome hemorroidal agudo ou crónico. Esta apresenta um início rápido de ação (1 a 2 semanas) e, até agora, não foram demonstrados efeitos secundários inerentes à sua utilização.

Glucosamina

A glucosamina estimula a formação e regeneração da cartilagem, por estar associada à formação dos principais constituintes da matriz. Atua também pela inibição das enzimas que destroem a cartilagem e tem também uma importante ação anti-inflamatória. Em casos de osteoartrite ou outras situações de inflamação articular, a cartilagem fica mais fina, causando mais tensão, rigidez e dor.

A glucosamina promove uma estimulação do metabolismo da cartilagem e a sua estrutura consegue ser regenerada, permitindo uma manter a sua funcionalidade.

A toma de glucosamina já foi comparada com o efeito de anti-inflamatórios não esteroides e mostrou-se benéfica, tornando possível baixar a dose de medicação anti-inflamatória para alívio da dor.

Melatonina

A melatonina é uma hormona que é segregada naturalmente pelo cérebro em resposta à escuridão, que regula os ciclos de sono e de vigília. A Melatonina reduz o tempo necessário para adormecer, reduz os despertares noturnos e ajuda a melhorar a qualidade do sono, com a vantagem de não criar qualquer tipo de habituação. A sua utilização é muito útil para as pessoas que trabalham por turnos ou que viajam para diferentes fusos horários (jet lag).

Conforme envelhecemos, a quantidade de melatonina produzida pelo nosso organismo diminui, o que pode afetar a qualidade do sono.

A melatonina administrada por via oral, é metabolizada e excretada de forma semelhante à melatonina endógena, o que a torna uma substância eficaz e segura.

Metilsulfonilmetano (MSM)

O MSM contém enxofre orgânico, que é importante em vários componentes estruturais e em diferentes funções biológicas no organismo. Este encontra-se em concentrações elevadas no cabelo, na pele, nas unhas e nas articulações. O MSM estimula a formação e a regeneração da cartilagem, que em conjunto com a sua importante ação anti-inflamatória, contribui para o controlo dos sintomas associados à osteoartrose.

Quando tomado antes do exercício físico, ajuda a diminuir a tensão muscular, a prevenir dores musculares causadas pelo exercício e também o aparecimento de cãibras.

Por ser um excelente dador de enxofre, é útil para a formação de queratina e colagénio, proteínas muito importantes para a manutenção de pele, unhas e cabelos saudáveis.

Óleo de Peixe

O óleo de peixe é rico em ácidos gordos ómega-3, que incluem o ácido eicosapentaenóico (EPA) e ácido docosahexaenóico (DHA). O EPA e o DHA são de extrema importância para o nosso organismo em todas as idades. Estes não são produzidos no corpo humano, pelo que têm de ser obtidos através da alimentação ou suplementação.

Vários estudos indicam que ácidos gordos Ómega-3 ajudam a melhorar o desempenho cognitivo, influenciam a velocidade de aquisição e processamento da informação. Estes contribuem para a redução do risco de demência e podem ser utilizados diminuição de sintomas depressivos e na regulação do humor. Além disso, contribuem para a diminuição do risco de doença cardiovascular, pela sua ação na agregação plaquetária, na regulação da pressão arterial, na diminuição dos níveis de triglicéridos e no aumento do “bom” colesterol (HDL). Têm também uma importante ação anti-inflamatória e no controlo da dor, especialmente útil em doenças osteoarticulares.

Informação baseada em informação técnico-científica. Não dispensa o aconselhamento por um profissional de saúde.

Abrir chat
Olá,
no que podemos ajudar?